Em alguns locais das estradas brasileiras, há um registro de fluxo intenso de veículos, principalmente para áreas de produção rural e áreas turísticas. Nesses pontos indicados são instaladas unidades de cobrança de pedágio, mas afinal, para onde será que vai o valor arrecadado?

O que é o pedágio?

Um dos impostos obrigatórios com o qual o brasileiro tem que contar é a cobrança de pedágio. Essas unidades são instaladas a partir a da avaliação de alguns requisitos definidos pelos líderes responsáveis.

O pedágio nada mais é do que uma taxa obrigatória de passagem, que está dando acesso de uma região a outra para todos os tipos de veículos.

A taxa é a mesma para todos os veículos e estará dando o direito de passagem para quem estiver cumprindo com ela. Vale mencionar que o valor não é fixo para todas as unidades.

Por que o pedágio é cobrado?

Você sabia que atualmente, um dos maiores custos do país ainda é referente a construção e manutenção de estradas e rodovias? E é justamente com base nesse registro de gastos, que são instaladas as unidades de cobrança de pedágio.

Dessa forma, os órgãos responsáveis podem estar restituindo os custos da construção das rodovias e estradas, e ainda arrecadando para que a manutenção da mesma aconteça, afinal, o fluxo de veículos nestes postos é constante.

Além disso, a cobrança de pedágio funciona também como uma ferramenta para gerar dados importantes para os estados, já que é capaz de controlar a circulação de veículos.

Como é distribuída a arrecadação?

O Brasil possui diversos impostos espalhados até nos processos mais simples. O proprietário de veículos, terá de lidar, por exemplo, com o pagamento do IPVA 2020um dos impostos obrigatórios mais importante. Mas assim como o IPVA, a arrecadação de pedágio não será somente uma cobrança realizada sem nenhum fim de benefício para a população.

Um porcentagem do IPVA é dedicada a manutenção dos sistemas de trânsito. Isso quer dizer que, quem estiver cumprindo com o IPVA 2020 RJna teoria, também estará vendo melhorias no trânsito como asfaltamento, por exemplo.

A cada um real arrecadado a partir de estações de pedágio, R$0,37 são destinados a investimentos nas rodovias, enquanto R$0,17 ficam para a restituição e manutenção das obras de trânsito. Essa é a porcentagem mas significativa, já que somente R$0,01 ficam para seguros e garantia.

Enquanto isso, as empresas que cuidam dessas estações de cobrança recebem R$0,08 a cada R$1 arrecado. A administração recebe R$0,22 e os outros R$0,13 ficam para tributos.